Aloé no Jardim

Aloé no Jardim

Aloe vera sin. A. barbadensis, A. vulgaris. Aloeaceae

               

Os antigos Egípcios chamavam-lhe «a planta da imortalidade» e crê-se que Cleópatra usava os sucos de aloé para preservar a beleza. O gel transparente que escorre das suas folhas cortadas tem propriedades calmantes e curativas. O aloé dá-se bem em vasos grandes, em rock gardens e também como planta de interior.

Outros nomes comuns: aloé vera, erva-babosa

Parte usada: folhas

Livro Portal Dourado

O aloé é uma planta suculenta, cujas folhas verde-claras e muito carnudas formam uma roseta a partir da base, sendo desprovidas de caule. Em climas quentes, produz flores tubulares estreitas e amarelas. O aloés-do-cabo (A. ferox) é uma espécie alta de caule único e folhas compridas, acinzentadas, espinhosas e suculentas. Apresenta bonitos escapos de flores alaranjadas.  

Onde cultivar: o aloé requer local soalheiro e solo muito bem drenado.

Propagação: o aloé pode ser cultivado a partir da semente, mas raramente a dá fora dos climas quentes. Aconselha-se a sua propagação através dos rebentos da base da planta.

Deixe-os secar dois dias e plante-os em vasos pequenos, com uma mistura arenosa com boa drenagem. Depois de estarem bem pegados, pode transferi-los para o local definitivo.

Cuidados: esta planta requer clima ameno, sendo afectada mesmo por geadas ligeiras. Em locais onde a temperatura de inverno desce abaixo dos 5°C, o aloé cresce melhor envasado, no interior, devendo ser colocado num local com boa luz.

Pragas e doenças: a cochonilha pode ser um problema para o aloé no interior, mas raramente ocorre no exterior. Para o solucionar, deve pulverizar a planta com uma saponaria insecticida, que não é tóxica para os animais nem deixa resíduos.

Aplique-a apenas ao fim do dia, pois pode queimar as plantas mais sensíveis se efectuada sob sol intenso ou temperaturas    Aloé Veraelevadas.

Colheita e conservação: colha as folhas à medida que precisar, ou então guarde a folha em sitio seco e escuro. Após cortar a folha deixe-a repousar com a parte do corte voltada para cima, de forma a que a seiva cicatrize essa

zona e assim a folha se conserve por mais tempo.

No caso do Aloé Arborescens, a folha madura e pronta a colher é aquela que se apresente já na horizontal ou passe da horizontal em direcção ao solo.      

No caso do Aloé Vera, a folha madura e pronta a colher é aquela que se apresente na base da planta, do lado de fora.

Não utilize as partes da folha que estiverem danificadas.

 

Fontes:

O GRANDE LIVRO DAS PLANTAS editora Selecções

O NOVO GUIA DO ALOÉS de Marie Lecardonnel

O MÉDICO VERDE de Robert Dehin