Confiar ou não confiar? Eis a questão…

“Confiar na vida é uma questão de inteligência…”

 

Mas tenho contas para pagar, e não tenho dinheiro, o que faço??

Estou desempregado, filhos para sustentar, não vejo saída!

A minha situação familiar vai de mal a péssimo!

As minhas finanças são um buraco!

Tudo está mal, como posso confiar?

 

A primeira vez que ouvi falar de mundos paralelos soou-me a algo de alienígena… Hum, deve querer dizer que existem vários mundos, várias espécies de pessoas. Hum, interessante, mas o que é que isso tem a ver comigo?

Tudo. Tem tudo a ver.

A maioria das pessoas vive no mundo da escassez, onde reina esse cenário descrito em cima. Não há volta a dar, apenas sobreviver. Tudo que se faz é num ato de sobrevivência, nunca é suficiente, sempre falta.

Esse mundo foi-nos “ofertado” á nascença – já os nossos país tinham sido “presenteados” com ele, e, não conhecendo outro, foi a herança que nos passaram.

Então eu nasci neste mundo, e pronto, ficarei nele até morrer.

Isso é opção de cada um.

Mas como é opção? Como eu posso mudar?

 

 

Na altura que fiquei menstruada pela primeira vez, a minha mãe avisou-me:

– Olha filha, agora não podes lavar o cabelo, não podes apanhar sol, não deves fazer esforços… pode o período te subir á cabeça, e morreres…

Eu pensei:

O quê? 8 dias sem lavar o cabelo? 8 dias sem ir á praia? 8 dias…??? Nem pensar!!!

E sempre fiz a minha vida normal, tivesse ou não menstruada.

Foi ou não foi uma escolha???

Eu podia tomar como verdade o que ela me estava a dizer, e essa seria a minha realidade.

Nós sempre podemos escolher.

 

 

Quando identificamos uma crença que nos prejudica, que empata o nosso caminho e não nos deixa crescer, sempre temos a escolha de a liberar.

Fomos ensinados desde crianças a desconfiar de tudo e de todos. Contavam-nos histórias de desconhecidos que os enganaram, de famílias em que os próprios irmãos se traiam. Casais que se maltratavam. Na nossa própria casa víamos esse cenário. Enfim, passaram-nos a ideia de que não podemos confiar em nada nem em ninguém…

Essa crença nos separa de tudo e de todos. O pai diz ao filho: Eu sou um monstro, tu és um monstrinho, e tens que ter cuidado com os outros monstros que nos querem fazer mal!

E assim se cria uma realidade de medo e desconfiança.

E as pessoas que roubam? E as pessoas que fazem mal ás crianças?

Todas elas vivem nesse mundo. Afinal em que mundo quer viver?

 

 

É a nossa verdade que cria o mundo em que vivemos. Sim, o que acreditamos é o que se manifesta na nossa vida. Nem mais, nem menos. Não o que pensamos, não o que sabemos, mas o que acreditamos.

Se acredita num mundo de guerra, violência, desonestidade… voilà…o seu desejo está concretizado!

Se acredita num mundo de falta, onde não há o suficiente para todos… voilà…o seu desejo está concretizado!

Então como viver num mundo de Abundância, Paz, Harmonia, Riqueza?

É simples, basta mudar o que acredita!

Confiar é uma das ferramentas mais poderosas que podemos aplicar.

No fundo, basta olhar para todas as nossas experiências e tomar consciência de que sempre fomos apoiados – quer tivéssemos conhecimento disso ou não – por uma força que sempre nos impeliu para a frente e para cima. Podem chamar-lhe o que quiserem – Vida, Deus, Alá.

A prova disso é que estamos vivos.

 

 

Se todos os medos que temos se concretizassem, não existiria vida á face da terra…

Então, se a vida sempre me deu tudo o que precisei, na hora em que precisei, sempre me apoiou nos momentos mais difíceis, sempre consegui o que realmente precisei… a diferença é que eu não vi isso…

Apesar de todo o medo, toda a desconfiança, a vida sempre me apoiou…

Confiar na vida, sabendo que ela me dá tudo o que eu preciso para o meu bem-estar, sucesso e riqueza, é uma questão de inteligência.

 

Elisabete Milheiro