Perguntas de Criança

 

Quando eu era criança questionava-me sobre o motivo do qual estar aqui neste mundo… Quem sou eu? O que faço aqui? De onde vim? Para onde vou? E lembro-me uma altura em que tinha uma pergunta que acabei por desistir de a colocar… Tudo tem um começo. Então tem que haver um dia em que tudo isto começou, certo? Então o que existia antes de tudo começar a existir? Ninguém me sabia responder e encaminharam-me para o Padre da Vila. Eu não entendi nada do que ele me disse, fiquei com a sensação que ele tinha mudado de assunto e a partir desse dia, achando que a maior autoridade na matéria não me tinha sabido responder, então mais ninguém saberia… Essa foi a minha perceção.

De toda a forma. Eram perguntas muito interessantes, vindas de uma criança… Será que era só eu?

Respostas como: A vida é assim mesmo! Não há mais nada além disto! Nascemos para sofrer! Quando morrermos tudo acaba!

Ninguém nasceu com um livro de instruções! Isto é mesmo assim, cada um por si!

Nada disso satisfazia ou encaixava com as minhas perguntas e eu sentia que havia algo mais do que me estava sendo mostrado.

Quando tomei conhecimento das Leis Universais, tudo fez sentido! Pensei: imagina que estas Leis me tinham sido passadas em criança? Imagina que todos pudessem ter acesso a como realmente as coisas funcionam? Não seria tudo mais simples?

As Leis Universais não foram criadas pelo Homem. Não se cumprem hoje e amanhã não. Não englobam exceções. Não beneficiam uns e prejudicam outros.

As leis universais são sempre justas, benéficas, imutáveis, claras, simples, sem exceções.

Do Workshop AS LEIS UNIVERSAIS